Eleições no Iraque e o que os votos não podem resolver

O Iraque tem eleições legislativas (antecipadas) neste domingo, 10 de Outubro. É uma tentação grande – após quase 20 anos de guerras e conflitos – esperar que os resultados eleitorais permitam que alguma coisa mude nas instituições políticas iraquianas, mas talvez seja esperar o impossível. Desde o Outono de 2019 que os iraquianos saíram à … Continue a ler Eleições no Iraque e o que os votos não podem resolver

A Oeste nada de novo. Washington, como quase sempre. França, a última a saber.

O título – por não anunciar novidade – pode levar ao desinteresse pelas linhas que se seguem mas, apesar de não haver novidade, é precisamente essa ausência de novidade que é importante sublinhar porque contraria a expectativa de quem esperava grandes mudanças com a eleição de Joe Biden para a Casa Branca. O caso dos … Continue a ler A Oeste nada de novo. Washington, como quase sempre. França, a última a saber.

Incompetência, negligência, ingratidão

Em todas as guerras e conflitos armados há sempre um grupo específico de pessoas que fica numa especial situação de fragilidade quando a guerra termina. Principalmente quando o conflito provoca uma mudança de poder e de regime. Pessoas que tenham trabalhado com militares, jornalistas ou instituições ligadas à (s) parte (s) derrotada (s), são frequentemente … Continue a ler Incompetência, negligência, ingratidão

Os Taliban podem parar o relógio mas não conseguem parar o tempo

Passaram 20 anos desde que foram governo e os Taliban vão ter de lidar com o seu próprio povo num contexto completamente diferente daquele que tiveram no fechar do século passado. Parte da sociedade afegã experimentou já alguma libertação das amarras religiosas e tribais, teve acesso ao mundo exterior através das tecnologias e um maior … Continue a ler Os Taliban podem parar o relógio mas não conseguem parar o tempo